culturais, Mundo melhor

A Marcha das Mulheres Indígenas e a Marcha das Margaridas 2019

Muitas pessoas do meio corporativo alertam sobre a necessidade de gestores e produtores não se posicionarem em relação a determinados assuntos uma vez que posicionamentos ideológicos podem vir a ser empecilhos de vendas.

Por aqui pensamos e corremos ao CONTRÁRIO do pensamento “comercialesco” da nossa profissão. A nossa opção por realizar trabalhos que façam bem à humanidade é cada dia mais latente.

Documentar culturas, ensinamentos, diversidade, documentar sustentabilidade, defender os direitos humanos, defender as minorias e participar da costura de memória artística das cidades, estados, país e países vizinhos… Uma baita missão que a cada dia nos chega nas mãos.

Ainda estamos sem palavras para discorrer sobre termos testemunhado e filmado as Marchas das Mulheres Indígenas e a Marcha das Margaridas em Brasília/DF nos dias 13 e 14 de Agosto. A força feminina é das coisas mais grandiosas que alguém pode presenciar na vida.

Fomos filmar um documentário para a ANAÍ Associação Indigenista de Salvador/BA, cujo projeto Cunhataí Ikhã levou mulheres jovens indígenas de aldeias baianas a participarem de sua primeira marcha. A ANAÍ é hoje apoiada pela Malala Fund e o nosso trabalho certamente chegará a muitas outras mulheres do mundo. Deixo o nosso imenso agradecimento à historiadora Ana Paula Ferreira de Lima pela credibilidade e confiança.

Daí a importância de nos posicionarmos sim, a deixar saber que não somos uma organização empresarial que pensa em capitalizar-se sem critério. Dinheiro é importante? Sim. Estaríamos à venda? Nunca.

Nossa luta recente e próxima batalha é a de realizar um belo filme ao “Território: nosso corpo, nosso espírito.”

 

Um abraço apertado

Raquel Alvarez – Diretora

 

institucional

ESCOLAS E UNIVERSIDADES – Vídeos e coberturas

A Caturra Digital Filmes vem em 10 anos de trajetória se especializando em algumas áreas de importância expressiva no cenário audiovisual nacional. Uma delas é a área de educação, atendendo escolas e faculdades.

Os vídeos promocionais de eventos, projetos de pesquisa, startups, projetos de inovação, inclusão e depoimentos, vêm sendo muito utilizados pelas instituições para a disseminação de suas mensagens.

Vídeos curtos, diretos, bonitos e bem montados, enfim, tudo o que uma instituição com boas ideias necessita.

Um forte abraço
Raquel Alvarez – Diretora Executiva

Veja mais com nosso canal do Youtube e Vimeo.

Uncategorized

ACONTECEU NA CATURRA – Setembro

Para aqueles que se divertem e amam o que fazem tanto quanto nós, vejam um pouco dos nossos movimentos profissionais do último mês.

Foi um conjunto de documentários, eventos literários, informativos, programas de TV, e um vídeo experimental que foi selecionado para a Mostra competitiva do Festival do Minuto – Tema Livre.

As crianças também deixaram as suas marquinhas mais gostosas conosco, e o nosso cuidado com elas significa cuidar das sementes futuras do nosso mundo. Já deixamos o nosso Feliz Dia das Crianças!

Veja o último “Aconteceu na Caturra”. Perdeu?? É só assistir aqui. 🙂

Um abraço apertado

Raquel Alvarez – #somostodoscaturra

documentário

A Filha de São Sebastião – Documentário

Em Bom Despacho, Minas Gerais, uma mulher de muita fibra, resolve fazer desse lugar seu “chão de morada”. Sua primeira atitude é construir a casa para abrigar seu santo de proteção: São Sebastião, ou Oxossi, senhor das matas.

Dona Tiana, como é conhecida, enfrenta todos os tipos de preconceitos. Seu ideal é mostrar a cultura de seu povo através da luta política, ativismo social, além da religião, canto e dança.

CLAQUETE WATCH FULL FILM Vejam o filme na íntegra: #compartilhem

TABATINGA_OUT_2011 (695)

Este filme foi produzido pela equipe totalmente sem fins lucrativos e oferecido à família de Dona Tiana como um presente e desejo de que aquela comunidade possa ser conhecida e reconhecida pelo Brasil e outros lugares do mundo.

Idealizadores:
Ana Paula Ferreira de Lima
José Francisco Duarte
Juliana Braga
Raquel Alvarez
Comunidade Carrapatos da Tabatinga

Assistentes de produção:
Larissa Cardoso
Luciana Katahira

Direção de fotografia: José Francisco Duarte
Imagens: José Francisco Duarte e Raquel Alvarez
Produção e conteúdo: Ana Paula Ferreira e Juliana Braga
Seleção de conteúdo, montagem, e finalização: Raquel Alvarez
Tratamento de Som: Felipe Fantoni

Agradecimentos:
Sandra Maria da Silva
Dona Sebastiana, Pai Tonho, e família
Anderson Siqueira
Nilton Júinior
Gabriela Gois
Sarah Cambraia

Realização: Caturra Digital – http://www.caturra.com.br

documentário

O sonho não acabou – DVD Meninas de Sinhá – Brasil

Foto dovulgação No dia 15/01/2014 foi para o céu a fundadora de um dos grupos sócio-culturais de maior reconhecimento em Belo Horizonte e Minas Gerais, Dona Valdete Cordeiro.

O grupo Meninas de Sinhá vinha de uma trajetória de mais de 20 anos de trabalhos que trouxeram expressivo destaque a este conjunto de senhoras no Brasil que voou até mesmo a outros países da Europa.

A equipe da Caturra Digital vinha realizando um importante trabalho de documentação videográfica do grupo, que incluiu desafiadoras locações como colocar 5 câmeras e microfones espalhados dentro de um ônibus, gravação também com 5 câmeras na praça mais movimentada da capital mineira, hospital, morro, feira das flores, e outros mais.

Vejam um pouco dos bastidores das filmagens.

TRAILER DVD MEINAS DE SINHÁ – 3 MIN from Caturra Digital on Vimeo.

Com o falecimento da maior idealizadora deste DVD no meio do processo, a tão sábia e querida Dona Valdete, o trabalho passa pelo seu maior desafio: o que fazer?

Todos da equipe de produção, músicos, técnicos, integrantes, e diretores, sabem que o sonho da nossa líder, era de que tudo isso fosse até o fim. Pois bem, o DVD/documentário agora contará mais uma história no seu enredo, a história da sua maior estrela que nos deixou.

Agora é hora de silenciar o coração, cantar baixinho aquela cantiga de roda preferida, e construir com a grande competência de todos um filme que o mundo inteiro irá conhecer, traduzido também para o inglês.

Abraços cordiais neste dia com menos brilho.
Raquel Alvarez