documentário

“ENCANTADAS” O FILME – MARCHA DAS MULHERES INDÍGENAS E MARGARIDAS – Brasília 2019

“Pisa ligeiro, pisa ligeiro! Quem não pode com as mulheres, não assanha o formigueiro”.

Por iniciativa da ANAÍ – Associação Nacional de Ação Indigenista apoiada pelo Malala Fund, nós da Caturra fomos convidados a produzir um documentário sobre Primeira Marcha das Mulheres Indígenas e Marcha das Margaridas que aconteceram nos dias 13 e 14 de Agosto de 2019 em Brasília.

O tema da marcha indígena foi: TERRITÓRIO: NOSSO CORPO, NOSSO ESPÍRITO.

Participaram jovens e professoras do Projeto Cunhataí Ikhã dos povos Pataxó Hãhãhãe e Tupinambá da Bahia.

Milhares de mulheres se juntaram para marchar no centro de poder brasileiro para exigir que seja cumprida a Constituição de 1988 em favor das cidadãs e cidadãos do campo de das florestas do Brasil.

A considerar que o poder público e governo federal atual pouco têm feito em defesa da dignidade, saúde e segurança das pessoas do campo. O lucro tem falado mais alto e o extermínio das comunidades ancestrais vem sendo uma realidade no Brasil.

O documentário ENCANTADAS foi feito por:

Direção, imagens e montagem: Raquel Alvarez – Assistente de direção, produção e som direto: Diogo Almeida – Assistente de produção: Sarah Costa – Conteúdo e entrevistas: Ana Paula Ferreira de Lima – Imagens adicionais: Ana Paula Ferreira de Lima, Diogo Almeida e Sarah Costa.

 

Por Raquel Alvarez – Diretora

culturais, Mundo melhor

A Marcha das Mulheres Indígenas e a Marcha das Margaridas 2019

Muitas pessoas do meio corporativo alertam sobre a necessidade de gestores e produtores não se posicionarem em relação a determinados assuntos uma vez que posicionamentos ideológicos podem vir a ser empecilhos de vendas.

Por aqui pensamos e corremos ao CONTRÁRIO do pensamento “comercialesco” da nossa profissão. A nossa opção por realizar trabalhos que façam bem à humanidade é cada dia mais latente.

Documentar culturas, ensinamentos, diversidade, documentar sustentabilidade, defender os direitos humanos, defender as minorias e participar da costura de memória artística das cidades, estados, país e países vizinhos… Uma baita missão que a cada dia nos chega nas mãos.

Ainda estamos sem palavras para discorrer sobre termos testemunhado e filmado as Marchas das Mulheres Indígenas e a Marcha das Margaridas em Brasília/DF nos dias 13 e 14 de Agosto. A força feminina é das coisas mais grandiosas que alguém pode presenciar na vida.

Fomos filmar um documentário para a ANAÍ Associação Indigenista de Salvador/BA, cujo projeto Cunhataí Ikhã levou mulheres jovens indígenas de aldeias baianas a participarem de sua primeira marcha. A ANAÍ é hoje apoiada pela Malala Fund e o nosso trabalho certamente chegará a muitas outras mulheres do mundo. Deixo o nosso imenso agradecimento à historiadora Ana Paula Ferreira de Lima pela credibilidade e confiança.

Daí a importância de nos posicionarmos sim, a deixar saber que não somos uma organização empresarial que pensa em capitalizar-se sem critério. Dinheiro é importante? Sim. Estaríamos à venda? Nunca.

Nossa luta recente e próxima batalha é a de realizar um belo filme ao “Território: nosso corpo, nosso espírito.”

 

Um abraço apertado

Raquel Alvarez – Diretora